segunda-feira, 24 de setembro de 2007

"OP1" estréia Sesi Dança 2007

Marcela Benvegnu

A proposta de “OP1”, coreografia de Lali Krotoszynski pela Cia. Phila 7, que será apresentada hoje e amanhã, às 20h, no projeto Sesi Dança 2007, no Teatro Popular do Sesi Piracicaba é unir corpo, dança, música e tecnologia. O espetáculo é uma experiência cênica que proporciona ao público uma percepção diferenciada que funde ilusão com realidade. A montagem é uma das seis selecionadas para integrar o projeto promovido pela instituição em 12 cidades no Estado. A entrada é gratuita, porém, os ingressos devem ser retirados com uma hora de antecedência na bilheteria do teatro.Com direção artística de Mirella Brandi, produção de vídeo de Rodrigo Gontijo, música original de Fabio Villas Boas e dramaturgia de Beto Matos, “OP1” tem como cenário um telão, no qual são projetadas diversas imagens captadas por uma câmera panorâmica que capta imagens do corpo em movimento ao vivo. “É uma proposta que experimenta os limites do espaço e da tecnologia no diálogo com o corpo. O trabalho não é só baseado nos movimento do corpo da intérprete, mas sim em sua relação de ilusão com o vídeo”, fala Mirela. Segundo a diretora o trabalho é baseado na optical art, uma tendência iniciada na Europa na década de 60, que opõe-se à harmonia estática da arte contemporânea tradicional, visando inversamente atingir um certo dinamismo que depende, muitas vezes, de estímulos visuais. “Daí o nome OP, que vem de optical art e o número 1, porque este é o nosso primeiro experimento”, explica. A Cia. Phila 7 foi fundada em 2005 com o objetivo de pesquisar novas linguagens e diferentes mídias. Os integrantes do grupo que tem como foco a convergência de linguagens, são profissionais de teatro e cinema. Além de “OP1” — desenvolvido com subsídio do programa Rumos Itaú Cultural Dança 2006 e prêmio estímulo de dança 2005, do Governo do Estado de São Paulo — a Cia. Phila 7 já realizou outras três produções, “Galileu Galilei”, “Play on Earth” e “A Verdade Relativa da Coisa em Si”, que recebeu o Prêmio Funarte de Dramaturgia em 2005.

PROJETO — Até o dia 28 de outubro, seis coreografias participantes do Sesi Dança 2007, circularão por 12 unidades do Sesi. A perspectiva é receber 31 mil pessoas nas 144 apresentações previstas no projeto. Segundo Sônia Azevedo, chefe do setor de Artes Cênicas do Sesi São Paulo, esta edição do projeto apresenta relações inusitadas entre música e corpo, corpo e tecnologia. “Todos os espetáculos primam por sua beleza particular, questionadora da nossa vida de todos os dias”, fala. A próxima apresentação acontece nos dias 29 e 30 de setembro, às 20h, no Sesi Piracicaba, com o espetáculo OPNI — Objeto Poético Não Identificado, de João Paulo Gross

Nenhum comentário:

Revista de Dança

Queridos amigos e seguidores do Tudo É Dança, Escrevo hoje para dividir com vocês todos, que dançam comigo aqui durante todos esses anos, ...