terça-feira, 30 de outubro de 2007

Blefe na dança


Marcela Benvegnu

Se você não é bailarino, não tem a mínima obrigação de ir a um espetáculo de balé clássico — ou qualquer outro tipo de dança — e entender tudo o que está sendo apresentado. O único problema é quando os bailarinos chegam até você e perguntam o que achou. Para não dizer bobagem, vale até dar uma olhada no manual do blefador “Tudo que Você Precisa Saber sobre Balé para Nunca Passar Vergonha” (Ed. Ediouro). Apesar do título ser bem exagerado, a publicação de Craig Dodd não deixa de ser engraçada e informativa.

O livro é dividido em cinco partes distintas. O que é balé, como apreciar um balé, companhias, criadores e terrine (pedacinho) de balé. Os três estilos de balé — clássico, neoclássico e o moderno — que hoje na contemporaneidade se difere da dança moderna — são explicados pelo autor, que também traduz algumas mímicas dos bailarinos no palco, como no trecho: “Mãos girando sobre a cabeça num movimento de misturar massa, significa dança”. Os cargos de diretor artístico, coreógrafo, diretor musical, maestro, pianista, mães de bailarinas e até críticos são descritos de forma humorada, mas nem sempre realista.

Sobre os críticos, Dodd, que sempre exerceu o ofício, escreve que são “esses homens e mulheres que escrevem a respeito de apresentações para a imprensa nacional com uma linguagem própria e que costumam sentar-se nas extremidades das fileiras, de forma a poder sair com rapidez ao final das apresentações”.

A parte que o autor destina à descrição das maiores companhias e coreógrafos de balé vale o elogio. No texto é possível ler um bom resumo sobre o Bolshoi, Kirov, NYCB, ABT, Royal Ballet, English National Ballet, Balé Real da Suíça, London City Ballet, Paris Ópera Ballet, Ballet de Marseille e outros. Entre os coreógrafos destacam-se Ashton, Balanchine, Bournonville, Ivanov, Petipa, Cranko, Béjart, Massine, Nijinska, De Mille, Nijinsky, Robbins e Tudor. No livro, o leitor ainda confere uma lista de personalidades — bailarinos — que ele deve lembrar e também os principais personagens das montagens de balé no mundo

O AUTOR — Dodd envolveu-se com balé por mais de 25 anos na condição de crítico, biógrafo e agente. Estreou como crítico ao redigir um texto sobre a primeira apresentação de balé que viu, remetendo-o para a hoje extinta Ballet Today. Também escreveu críticas para o “The Guardian” e para a revista The Dancing Times.

Nenhum comentário: