segunda-feira, 28 de julho de 2008

"Tap Bass" é lançado em Joinville


Marcela Benvegnu


Aqueles que assistiram ao espetáculo “da Corda pro Pé” nos últimos quatro anos e sempre perguntaram sobre o repertório, não têm mais do que reclamar. A sapateadora, musicista, cantora e coreógrafa Christiane Matallo e o contrabaixista Gilberto de Syllos resolveram registrar em CD, vários dos sucessos do espetáculo. O resultado foi “Tap Bass”, que foi oficialmente lançado no Brasil durante o 26º Festival de Dança de Joinville. O trabalho inédito consagra-se como o primeiro CD para sapateado no Brasil e esteve à venda no stand da Só Dança, na Feira da Sapatilha.

“Tap Bass foi nosso primeiro trabalho e ponto de partida do espetáculo “da Corda pro Pé”. Meu trabalho como sapateadora e bailarina, sempre foi voltado à pesquisa do movimento que gera som. Assim como a montagem, este CD é dança para se ouvir, e por isso de certa forma, volta às origens”, fala Christiane. “Tap Bass’ é muito elucidativo ao universo da dança e também da música, principalmente ao do contrabaixo”, completa de Syllos, que assina a direção musical do CD.

No repertório do CD figuram oito músicas: o tema de “Flintstones” (baixo, voz, sax tenor, sapateado e trompete); “Sambateado” (baixo e sapateado), “Cotovelo” (baixo e sapateado); “Maracangalha”, (baixo, sapateado e sax tenor); “Solando” (solo de Christiane Matallo – sapateado); “Carinhoso” (solo de Gilberto de Syllos – contrabaixo); “Tocando Baixo” (baixo e sapateado), e um remix de “Flintstones, com Dj Neo.

“Acho importante ressaltar que os temas ‘Flintstones’ e ‘Maracangalha’, nos quais toco sax tenor e sapateio simultaneamente, trazendo a fusão das linguagens do sapateado (dança) e música. O instrumento é extensão do meu corpo, faço um diálogo entre sapateado e sax tenor”, fala a sapateadora. De Syllos ressalta músicas de sua autoria como "Sambateado" e "Tocando Baixo". O termo Sambateado foi criado por Christiane Matallo para unir o samba e o sapateado. A fusão pôde ser vista no carnaval de 2008, na ala Sapateia São Paulo, no desfile da Mocidade Alegre.

ENTRE CORDAS E PÉS – Para Christiane “Tap Bass” é uma proposta de estudo contínua. “Me permite encontrar inúmeros caminhos para desenvolver a rítmica do sapateado. Alguns momentos mais no padrão rítmico proposto do gênero musical trabalhado, em outros, quebrando-o completamente; horas fazendo contraponto; horas dentro da linha melódica. Os arranjos das músicas de autoria do Gilberto (de Syllos) são bem complexos e não seguem uma quadratura simétrica, o que mais uma vez eu tive que estudar as partituras musicais para que o trabalho tivesse um efeito e resultado não somente coreográfico como obra, mas como música”, fala. “Além de ‘Tap Bass’ ser o primeiro CD de sapateado no Brasil, as peças apresentam os ritmos brasileiros na sua essência. Isso também fez parte dos DVDS "A Arte de Sapatear com Christiane Matallo" (2007), nos quais assino a direção musical”, fala o contrabaixista.

A principal idéia de “Tap Bass” é fazer com que o ouvinte encontre no sapateado um instrumento musical, sem a necessidade do aspecto coreográfico. “Desta forma aguçamos o interesse das pessoas irem ao nosso espetáculo "da Corda pro Pé"”, fala Gilberto. “É o sapateado para se ouvir, porém, quebrando alguns paradigmas. O sapateado está intimamente ligado ao jazz, porém no CD temos outros gêneros musicais como samba, baião, ijexá e pop. O CD é para todos, sendo que cada um irá degustá-lo de forma diferente”.

Nenhum comentário: