domingo, 14 de março de 2010

CRITICA | Meu Amigo Charlie Brown!: para todos!


Marcela Benvegnu

Quem com os seus quase 30 anos ou mais, não se lembra dos Peanuts? Do Snoopy que dormia na casinha vermelha, de Charlie Brown com seu sanduíche de pasta de amendoim? Ou do Schroeder tocando piano e Lucy cantando para ele? Sim, a memória voltou. E com ela todos os sabores da infância. Estreou ontem, no Teatro Frei Caneca, em São Paulo, o musical "Meu Amigo Charlie Brown", uma produção de Ricco Antony, que vale o ingresso.

A cenografia de Chris e Nilton Aizner é um convite aos olhos. As tiras cômicas de Charles Schulz são trazidas a cena mesmo antes da cortina se abrir. Desenhos vazados dos personagens ativam a memória sensorial de quem já conhece a turma, e aquece o olhar dos pequenos que ainda tem o mundo a desvedar.

Quando o musical começa, uma agradável surpresa: Mariana Elisabetsky. A jovem que tem um currículo de vários espetáculos e a apresentação de um programa infantil na TV, segura a cena como ninguém. No timbre de voz e na interpretação. Em alguns momentos o corpo fala mais que o texto, que incluvise é versado por ela. A versão original é de Clark Gesner.

Só que o sucesso do musical vem do time. Leandro Luna faz um excelente Charlie Brown, sua voz e o posicionamento do seu corpo (ele passa a maior parte do tempo cordunda) foram muito bem trabalhados; Fred Silveira faz um Snoopy seguro. A interpretação de Paula Capovilla para Lucy é ótima. É ela quem arranca mais gargalhadas do público com a sua voz desafinada. O Schoeder de Felipe Caczan é idêntico ao desenho e quando ele está ao piano nota-se que sabe ouvir o que a orquestra dirigida pelo maestro Marconi Araújo toca. E Thiago Machado como Lino, nos faz entrar pela televisão e lembrar do personagem que tinha como melhor amigo o seu paninho.

O texto é bem articulado e montado. A iluminação de Paulo Cesar Medeiros é um show a parte. Só assistindo para se ter noção da passagem do tempo e do que ele faz somente com um ciclorama.

Os figurinos são bem executados e coloridos, só a calça jeans do Snoopy que poderia ser revista. Valia uma pitada a mais de dança, um "q" de sapateado, entretanto, o trabalho de corpo de Alonso Barros é muito bem feito na interpretação dos atores. O corpo se expressa, fala.

Na balança, "Meu Amigo Charlie Brown" é uma excelente montagem que faz com que os pequenos se acostumem a frequentar o teatro, e faz com que os grandes pequenos amantes da arte, revivam excelentes lembranças. Para ser muito clichê: Vale a pena ver (e ouvir) de novo.

SAIBA MAIS - "You’re a Good Man, Charlie Brown" estreou Off-Broadway em 1967, com cerca de 1600 apresentações. Uma segunda versão seria montada em 1971. A versão definitiva é a de 1999, da qual "Meu Amigo Charlie Brown" foi adaptada, e recebeu dois prêmios Tony (melhor ator e melhor atriz em musical) e três prêmios Drama Desk (melhor remontagem de musical, melhor ator e melhor atriz). Essa montagem teve duas adaptações para a TV americana: um especial com atores na rede NBC e um especial de animação na CBS.

PARA VER: "Meu Amigo Charlie Brown", com direção geral de Ricco Antony. No Teatro Frei Caneca (rua Frei Caneca, 569 - Shopping Frei Caneca, sexto andar). Sábados e domingos, às 16h. O ingresso custa R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia-entrada) e apresentando na bilheteria uma lata de leite em pó paga-se meia entrada. A temporada do espetáculo vai até o dia 27 de junho.

2 comentários:

Mariana disse...

Oi Marcela, legal que você curtiu o espetáculo!
Obrigada pelo carinho e divulgação deste trabalho que foi feito com tanto amor!
Um abraço,
Mariana Elisabetsky

Doncaster José Carnio disse...

Estive no Teatro Frei Caneca em 20 03 2010 e, antes de assistir ao espetáculo tive a oportunidade de conhecer o Alonso Barros responsável pela direção e coreografia e o Fausto Almeida reponsável pela coordenação de produção e elenco e, durante a conversa eu disse a eles que após o espetáculo daria a impressão que tive sobre o mesmo. O Alonso adiantou-me que tratava-se de um espetáculo que era um " presente para os pais". Após assistí-lo entendí o que ele quiz dizer-me pois trata-se de uma"excelente" montagem onde tudo funciona perfeitamente: versão; iluminação, sonorização, cenários, figurinos, elenco, direção, coreografia, orquestração, enfim tudo perfeito!Após o término do espetáculo fiz questão de procurá-los para transmitir a excelente impressão que tive do mesmo e, como havia entendido o que Alonso havia dito-me a princípio. Realmente os pais que acompanharem os seus filhos receberão um presente inesquecível!Parabenizo todos os envolvidos eplo excelente trabalho.Doncaster José Carnio.