segunda-feira, 12 de maio de 2008

O “WabiSabi” de Yamauchi


Marcela Benvegnu

O Teatro de Dança — programa da Secretaria de Estado da Cultura, gerenciado pela APAA (Associação Paulista dos Amigos da Arte), dá continuidade ao projeto Artista da Casa em que é escolhido, por curadoria e semestralmente, um artista para produzir uma obra inédita, com estréia em temporada especial. A primeira edição trouxe ao palco do TD o espetáculo “Cara-Pálida”, de Umberto da Silva, em fevereiro desse ano. Agora, na segunda edição do projeto, o espaço recebe de hoje a domingo a bailarina e coreógrafa Susana Yamauchi e seu mais novo espetáculo: “WabiSabi”.

“WabiSabi” é um conceito difundido por monges zen-budistas e mestres da cerimônia do chá, no século 12, usado para exprimir a estética essencial e oculta da arte japonesa. As palavras wabi e sabi reúnem a beleza da simplicidade e da harmonia (wabi) com a da imperfeição e da impermanência (sabi). Susana começou a criação deste solo há 12 anos. Sua última apresentação, sozinha no palco, foi em 1996 com “A Face Oculta” e antes disso, em 1992, em “À Flor da Pele”.

Por meio de seqüências coreográficas de extremo rigor ritualístico, com alternância de movimentos contidos e esgarçados, a coreógrafa persegue e captura a presença poética escondida em cada ação e a transforma num universo de profundidade e contemplação. As cenas referem-se a personagens do imaginário japonês e a seus estados de ocultamento.

No ano em que se comemora o centenário da imigração japonesa no Brasil, Susana traz à tona mais uma vez suas raízes para criar uma visão caleidoscópica e singular que vai da cultura popular ao refinamento das artes superiores nipônicas como a Cerimônia do Chá, o Ikebana, a música imperial Gagaku e o teatro Noh. Além de coreógrafa e bailarina, a artista idealiza e confecciona as vestes e os objetos-instalações dos quais se apropria e dispõem no palco para desvendar e nos revelar o encantamento de sua origem.

Para ela a criação não envolve somente uma reflexão temática, mas também o empenho do artesão, que dá forma ao seu produto final. A concepção do cenário do espetáculo ficou a cargo da ceramista Kimi Nii, conhecedora profunda do conceito “WabiSabi”; o músico e compositor Camilo Carrara assina a trilha sonora original, com fortes referências à musicalidade japonesa; e Sérgio Funari é o responsável pelo desenho da luz, rico em ambiências sutis.

PARA VER — “WabiSabi”, hoje e amanhã, às 20h, e domingo, às 18h. No Teatro da Dança (avenida Ipiranga, 344), no Edifício Itália, em São Paulo. O ingresso custa R$ 4 (inteira) e R$ 2 (meia-entrada). Data, local e horário foram enviados pelos organizadores. Mais informações (11) 2189-2555 ou

Crédito: Alex Szabzon

Nenhum comentário: