quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Piracicaba tem audição da Cedan

Ady Addor, um dos grandes nomes da dança, estará na banca de seleção

Marcela Benvegnu

Concentração e disciplina serão requisitos mínimos na audição da Cedan (Companhia Estável de Dança de Piracicaba), que acontece hoje a partir das 9h30, no Centro Cultural Antônio Pacheco Ferraz — Estação da Paulista. Isso porque os mais de 35 bailarinos inscritos passarão pelo crivo de alguns dos maiores nomes da dança brasileira. A banca de seleção será composta por Maria Pia Finócchio, diretora do Sindicato dos Profissionais da Dança do Estado de São Paulo e jurada do Dança dos Famosos no programa do Faustão; Ady Addor, que foi a única brasileira a ser primeira bailarina do American Ballet Theatre; Eduardo Bonnis, que atualmente trabalha com a São Paulo Companhia de Dança, e Oderagy Manhani, que foi bailarino do Balé do 4º Centenário, e está radicado em Piracicaba há três anos.
“Toda cidade deveria ter a sua companhia estável. Na Europa, toda cidade, por menor que ela seja, tem seu teatro, sua ópera e sua companhia de dança”, fala Ady. “A Cedan tem tudo para dar certo. Conheço o trabalho da Camilla (Pupa, diretora artística da Cedan) e acho que a companhia estará em boas mãos”. Ady enfatiza que a dança clássica merece e precisa de espaço. “Precisamos de mais companhias para que possamos dar emprego aos nossos bailarinos no Brasil. Piracicaba pode e deve ter a sua companhia porque público para isso ela tem”, fala a professora que também foi primeira bailarina do Teatro Municipal do Rio de Janeiro.
“Buscamos para essa companhia o que há de melhor no trabalho da dança piracicabana. Acredito que iremos selecionar bailarinos que estejam a altura dos trabalhos que serão montados. É preciso uma boa técnica para a execução de balés de repertório e consequentemente outros balés”, avisa Maria Pia. “A Cedan é um passo para a profissionalização dos bailarinos da cidade de Piracicaba. O que o Sindicato dos Profissionais da Dança do Estado quer é que nossos bailarinos tenham emprego em suas cidades e possam dançar no Brasil”, justifica.
“Fiz questão de convidar esse júri especializado pessoalmente para a primeira banca da Cedan. São pessoas muito requisitadas no meio da dança. Piracicaba merece recebê-las”, fala a diretora artística.
¤
AVALIAÇÃO— A audição será dividida em três fases. A primeira será uma redação sobre história da dança; a segunda, uma aula de balé clássico, e após essa etapa serão anunciados os aprovados para a terceira fase, que é a apresentação de uma variação do repertório clássico. A lista final de aprovados será divulgada no dia 3 de outubro. Dirigida por Camilla Pupa, a Cedan tem como objetivo proporcionar a rotina de uma companhia estável para os aprovados e também mais experiência em dança. “Queremos que os alunos levem conhecimento para dentro de suas próprias escolas com as visitas programadas a outras companhias de dança, espetáculos diversos, aulas com profissionais renomados”, fala Camilla.
¤
PREPARAÇÃO — A bailarina piracicabana Monique Cristina de Souza,17, inscrita para a audição, vê na Cedan a chance de vivênciar uma companhia profissional. “Quero ser bailarina e sonho com uma carreira internacional. Acredito que se for aprovada vou poder experimentar outro tipo de rotina de aulas e estarei melhor preparada para o mercado de trabalho”.
Também na seleção estará a bailarina Gisela Almeida, 20, de Limeira. A jovem que faz faculdade de dança na Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) diz que uma companhia profissional é o sonho de qualquer bailarina. “Se eu for aprovada não vejo problemas em vir para cá para integrar a companhia”, fala a bailarina.

Nenhum comentário: